domingo, 3 de abril de 2011

Ao Dr. Luiz Inácio

Depois de uma semana em que a mídia transformou-se num imenso obituário, em que todos os meios de comunicação fizeram suas homenagens ao ex-vice-presidente José Alencar, o ex-presidente Lula recebeu duas homenagens importantes em Portugal, incluindo o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Coimbra.

Por motivo do óbito do companheiro de governo, tanto Lula quanto Dilma encurtaram sua visita ao referido país e a mídia, claro, aproveitou a morte de José Alencar para não ter que, repetidas vezes, dizer que aquele em quem ela tanto bateu por não ser mais que um torneiro mecânico agora era também um doutor, um reconhecido doutor de uma das mais importantes instituições acadêmicas do planeta. É difícil para o grupo Folha, para os Associados e para as organizações da família Marinho dizer que Lula tem um título com este peso.

Na semana anterior às homenagens, Lula foi citado em um texto de Perry Anderson, historiador da UCLA, no London Review of Books, como o “político mais bem-sucedido de seu tempo”, além de já ter sido considerado, tempos antes, o responsável pela efetivação da democracia brasileira pelo também historiador Eric Hobsbawm.

Lula é, de fato, um dos nomes mais importantes da história do Brasil. Fez com que nosso país fosse respeitado além das quatro linhas do gramado. O Brasil passou a ser ouvido, visto, analisado. O que Lula diz tem peso – seja na ONU, nos EUA, nas reuniões com a União Européia, aqui mesmo. Os acordos diplomáticos que o Brasil fez durante seu governo sustentam e fomentam as boas relações que hoje temos com as demais potências, em nossas exigências comerciais, em nossas posições nas cadeiras das Nações Unidas.

Ele mudou a cara do Brasil, mudou a voz que o país tem e o respeito que recebe da comunidade internacional. Mesmo que a direita – a velha direita que nunca conseguiu de fato governar por não conhecer o povo brasileiro e nunca se considerar parte dele – nunca admita. Mesmo que a mídia golpista ainda não consiga viver sem as bravatas contra ele, por não conseguir aceitar o que o mundo já aceitou: um torneiro mecânico, um líder sindical é um dos maiores estadistas que o Brasil tem na atualidade.

É importante nunca deixar de dizer isso, já que está mais que provado que ele é o melhor presidente que tivemos desde 1989 e um dos nomes mais importantes da história da República. Com todas as críticas – sempre saudáveis a quem busca o melhor (muitas ainda por se fazerem) – Lula conseguiu governar este país “como nunca antes”.

4 comentários:

  1. Meu amigo, só lembrando, que antes do título de Doutor em Portugal, ele já havia recebido o título aqui no Brasil, pela Universidade Federal de Viçosa, e como a universidade e o próprio presidente foram criticados por isso. Mas importa que valeu sim o título e o reconhecimento de todos os graduandos e pós-graduandos que estavam na cerimônia, inclusive eu!!!
    Abração do amigo!

    ResponderExcluir
  2. danilo,eu tenho medo de virar imprensa golpista.

    ResponderExcluir
  3. É isso aí, mano, o Lula é a gente lá.

    ResponderExcluir
  4. Danilo, obrigada por nos lembrar, nunca custa lembrar, que Lula lá foi uma de nossas maiores realizações, ainda que muita há por se fazer, muito mais temos a celebrar!
    bjo grande!

    ResponderExcluir