segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Um presente público

Hoje é aniversário da Bia e ela, lá em sampa, além das alterosas, bebe sem mim. E eu, aqui, também além das alterosas, comemoro a meu modo.

Como o presente é reviver os agoras do passado, imortalizando assim o tempo que é posto com o ato em suspensão, vai meu presente público, como um álbum aberto: Bia trouxe a Lourdes, as noites de sinuca no snooker, uma madrugada falando de livros, muitas conversas sobre as nossas tortas vidas, uma cozinha aberta para uma visita que fiz a ela em Sampa, num primeiro de maio, de um perdido mineiro que não sabia onde descer do ônibus de viagem na Grande Cidade sem-fim. Viagem que terminou com a minha ida para Juiz de Fora, para o apartamento da Vanessa, numa das idas semanais corriqueiras de um mestrado de anos, nunca acabado.

Bia na livraria, de sobretudo de família, com Gabi, na mesa lendo meu primeiro livro. Bia chorando em frente ao computador, lendo um conto meu. Bia, que lê meus rabiscos de há muito e de agora, que me abraçou eufórica em Mariana, num show, quando estava para formar, às lágrimas.

Um grande álbum de fotos, que queria descrevê-las todas neste presente a ela. Mas a memória é movente, é múltipla, e acaba se transformando em outras imagens, trazendo a Gabi que está além, muito além, nas outras partes do país, que traz a Vanessa em tantos outros momentos, que traz minhas tardes na mesa da copa das Intocáveis, onde conheci tantas das melhores amigas que fiz, as minhas meninas que tanto me custaram ciúmes doentios de namoradas.

O aniversário da Bia é um amálgama de coisas tão caras que cercam Beatriz com a fragilidade de um poema de Drummond: como um arabesco.

Daí as fotos moventes para a amiga além das palavras.



6 comentários:

  1. *Chorando COPIOSAMENTE neste momento!

    Vc sabe que pra mim vc é muito mais que um amigo, nossa parceria vai além de longas datas... adoro-te! Foi o presente que completou com chave de ouro o aniversário perfeito. MUITO OBRIGADA MEU QUERIDO AMIGO!

    ResponderExcluir
  2. Assim não vale Dan, o presente é da Bia e eu choro tb!? Um beijo grande em vc meu amigo lindo e querido!!

    ResponderExcluir
  3. Dan, eu lembro um aniversário da Bia quando você disse que tinha um presente pra ela. eu olhei assim bem pra dentro e pensei que eu também queria dar um presente, e não tinha um. foi quando eu vi que o seu presente era um poema. e então eu ri de mim mesma e pensei que bobagem a minha pensar que para ser presente tem que ser algo comprado em loja, desses bagulhos aí por que se paga um tanto e que muitas vezes só preenchem lacunas, não são suficientemente fortes para se fazerem presente, presentes. quando eu li essa mensagem que você colocou, e agora se repete a ocasião, lembrei esse dia do presente que saía do bolso e se desenrolava em folha preenchida à mão. que bonito foi aquele gesto. agora um outro, tão bonito e tão novo.

    e sabe o que é engraçado? para falar de um, é preciso lembrar mais de um. e entramos todos na história, nessa roda doida que é a amizade. e como isso é bom, como isso nos faz felizes e próximos, não importa a que distância, não importa nada, importa a lembrança, importa saber que há amor, há gesto, há um tudo que nos une e nos abraça.

    Um grande beijo para a Bia, e eu estou muito feliz porque estive com ela, e um grande beijo para os meus amigos queridos que estão sempre presentes comigo, são todos meus presentes, minha incrível força. Amo vocês.

    ResponderExcluir
  4. Que coisa boa ver tanta gente boa aqui falando tanta coisa boa para a Bia e para mim de tabela!
    Vcs estão sempre perto, todos! Saibam sempre disso!

    ResponderExcluir